RENOVÁVEIS - HÍDRICO

Neste capítulo apresenta-se o resumo dos estudos hidrológicos e dos estudos de potencial hidroeléctrico efectuado. Foram identificados e estudados 159 locais para desenvolvimento de grandes centrais hídricas, dos quais foram seleccionados 20 locais que se consideram estruturantes para a futura rede eléctrica de Angola. Foram ainda estudados 100 locais para desenvolvimento de centrais mini-hídricas, num total de 607 MW, quer para ligação à rede quer para desenvolvimento de mini-redes isoladas para electrificação rural.

A análise do recurso hídrico envolveu um estudo hidrológico exaustivo baseado nas séries meteorológicas e hidrométricas disponíveis, tendo sido avaliados dados de 302 postos udométricos e 289 estações hidrométricas e modeladas as bacias nacionais e internacionais que contribuem para o escoamento no território Angolano.
Angola apresenta uma precipitação anual média de 1060 mm, com elevada incidência nos meses de Novembro a Março. A precipitação não se distribui uniformemente pelo país, sendo a zona nordeste bastante húmida, com precipitação anual média na ordem dos 1400 mm, e as zonas costeira e sul bastante seca, com precipitação anual média inferior a 500 mm.

Em Angola a época húmida ocorre em simultâneo com a época mais quente o que favorece a perda de precipitação efectiva por aumento da evaporação e evapotranspiração. Apesar disso, o escoamento apresenta valores elevados, com mais incidência na zona nordeste e no planalto central.

MAPA DE PRECIPITAÇÃO E MAPA DE TEMPERATURA

A rede hidrográfica de Angola é bastante extensa, com 47 bacias hidrográficas principais, e apresenta um enorme potencial hidroeléctrico.
No âmbito do estudo, as bacias hidrográficas foram modeladas com vista à elaboração do primeiro mapa de isolinhas de escoamento do território, obtido através da aplicação de uma metodologia de balanço hídrico baseada na distribuição geográfica da precipitação e temperatura na região. O caudal e a queda disponível foram posteriormente analisados conjuntamente ao longo de todo o território para a obtenção do Atlas do Potencial Hidroeléctrico.
Estima-se que o potencial hidroeléctrico de Angola seja de 18 GW, com forte predominância das bacias do Cuanza, Longa, Queve, Catumbela e Cunene. O Atlas analisou apenas as localizações já conhecidas, com enfoque nas mini-hídricas.

MAPA DE ESCOAMENTO E ATLAS DO POTENCIAL HIDROELÉCTRICO

A avaliação dos projectos hidroeléctricos de Angola teve por base uma pesquisa detalhada por locais com potencial já identificados no passado efectuada em Angola e em Portugal, resultando na inventariação de 159 locais identificados para a instalação de grandes hídricas e na análise de um cadastro de cerca de uma centena de locais seleccionados para a construção de mini-hídricas.

As 159 grandes hídricas foram avaliadas e hierarquizadas, culminando esta análise com uma avaliação ambiental estratégica exaustiva e pormenorizada, no final da qual foram escolhidas as vinte grandes hídricas que se consideraram estruturantes para a rede eléctrica futura de Angola e para as quais foram elaborados estudos de viabilidade técnica e económica detalhados.
Os cerca de 100 locais seleccionados para construção de mini-hídricas foram igualmente analisados em termos técnicos e económicos. A sua viabilidade de ligação à rede eléctrica nacional foi também avaliada e culminou no estudo de cerca de três dezenas de mini-redes isoladas.

POTENCIAL DE MINI-HÍDRICAS

As centrais mini-hídricas são as alternativas mais económicas para produção de energia eléctrica de entre as tecnologias renováveis estudadas. No entanto, estes projectos apresentam uma amplitude de custo bastante significativa, sendo que o custo nivelado de energia varia entre cerca de 20 USD/MWh e os mais de 1.000 USD/MWh.

De entre as 100 localizações identificadas para a construção de mini-hídricas (totalizando cerca de 600 MW de potência instalada), aproximadamente 35 localizações (aproximadamente 400 MW), permitem a implementação de projectos com custos nivelados de energia muito competitivos e com maior facilidade de financiamento e escoamento de energia quer para a ligação à rede quer para electrificação rural. Neste último caso poderá ser necessário considerar apoio térmico para a produção de energia nos meses de menor caudal.

CUSTO NIVELADO DE ENERGIA DAS MINI-HÍDRICAS ESTUDADAS

Exemplo de implantação das estruturas e órgãos hidráulicos do aproveitamento hidroeléctrico de Zenzo I:

 

ATLAS DO POTENCIAL HIDROELÉCTRICO

Clique na imagem para aceder ao visualizador dos projectos:

ATLAS DO POTENCIAL SOLAR

(PRINTSCREEN DO VIEWER)

Clique na imagem para aceder ao visualizador dos projectos:

- See more at: http://angola.cesefor.com/pt-pt/conteudo/renovaveis-solar#sthash.2qU9aiw...

ATLAS DO POTENCIAL SOLAR

(PRINTSCREEN DO VIEWER)

Clique na imagem para aceder ao visualizador dos projectos:

- See more at: http://angola.cesefor.com/pt-pt/conteudo/renovaveis-solar#sthash.2qU9aiw...